Um festival literário, como todo evento público, provoca excedente nas emissões de gases na atmosfera, em especial o dióxido de carbono. O aumento de carros e ônibus no entorno, o movimento de caminhões, a fabricação dos itens estruturais da montagem, o deslocamento dos convidados vindos de outros estados e países, utilizando transporte terrestre ou aéreo, tudo isso contribui para a poluição do ar. Um grande evento, em qualquer lugar do mundo, por maior valor cultural que traga à cidade – no caso, Paracatu – provoca danos à natureza, invisíveis a olho nu, conhecidos como “efeito estufa”.

A solução mais comum é simples: compensar carbono plantando árvores – essa é uma prática que os Festivais Literários de Paracatu, Araxá e Itabira – o Fliparacatu, o Fliaraxá e o Flitabira – fazem há anos. Recentemente, o Flipetrópolis, evento “irmão” desses festivais, aderiu à mesma proposta em sua realização de estreia, em maio, na cidade fluminense de Petrópolis. Agora, a ideia é avançar no conceito e na ação no tocante à reparação dos danos ambientais e à captura de Gases de Efeito Estufa (GEE) – e o Fliparacatu atuará seguindo esta linha.

Neste ano, o Festival Literário Internacional de Paracatu chega à sua segunda edição, perpetuando o legado literário e cultural que apresenta ao município mineiro e também promovendo propostas de sustentabilidade que vão além das implementadas até sua realização anterior. Tais propostas estão alinhadas com o princípio do ESG (Ambiental, Social e Governança, em Inglês), um conjunto de critérios utilizados para avaliar o desempenho de uma empresa em áreas que vão além dos aspectos financeiros. O quesito Ambiental é ao qual se adequam as ações de compensação de carbono e reflorestamento propostas pelo Fliparacatu e refere à forma como a empresa administra seus impactos ecológicos. 

Em convênio firmado com o Instituto Terra, além do plantio de árvores, o Fliparacatu investirá no cultivo de plantas nativas, fundamentais para a regeneração do meio ambiente e a proteção da biodiversidade. O convênio com o Instituto Terra incrementa também um dos pontos fortes do Instituto: a educação ambiental, na formação de jovens profissionais especializados. E, no futuro, o mais importante: a recuperação de nascentes, atividade que o Instituto Terra tem excelência nestes 25 anos de existência.

Conheça o Instituto Terra

O Instituto Terra é uma organização brasileira sem fins lucrativos que se dedica à conservação e recuperação do meio ambiente. Foi fundado em 1998 pelo fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e sua esposa, Lélia Wanick Salgado. A principal iniciativa do Instituto Terra é o projeto de reflorestamento da Mata Atlântica na região do Vale do Rio Doce, localizada no estado de Minas Gerais, Brasil. O projeto busca recuperar áreas degradadas e transformá-las em florestas nativas saudáveis ​​e ecologicamente equilibradas.

Além do trabalho de reflorestamento, o Instituto Terra também desenvolve atividades de educação ambiental, pesquisa científica e conscientização pública. Ele promove cursos, oficinas e palestras sobre conservação ambiental, agroecologia e sustentabilidade. O Instituto Terra tem como objetivo promover a preservação e a conservação da biodiversidade, garantindo a melhoria da qualidade de vida das comunidades locais e a preservação do patrimônio natural. Seu trabalho é reconhecido nacional e internacionalmente, sendo um exemplo de sucesso na recuperação de ecossistemas degradados.

Conheça as formas de parceria e compensação pelo site https://institutoterra.org

Sobre o Fliparacatu

O tema do 2º. Fliparacatu é “Amor, Literatura e Diversidade”, e acontece entre os dias 28 de agosto e 1º. de setembro. Todas as atividades são gratuitas. A segunda edição do Festival Literário Internacional de Paracatu é patrocinada pela Kinross, via Lei Rouanet do Ministério da Cultura, e tem o apoio da Prefeitura de Paracatu, da Academia Paracatuense de Letras e Fundação Casa de Cultura.

Serviço:

2º Festival Literário Internacional de Paracatu – Fliparacatu
De 28 de agosto a 1º. de setembro, quarta-feira a domingo
Local: programação presencial no Centro Histórico de Paracatu e programação digital no YouTube, Instagram e Facebook – @‌fliparacatu
Entrada gratuita

Informações para a imprensa:

imprensa@fliparacatu.com.br
Jozane Faleiro  – 31 992046367/ Letícia Finamore – 31 982522002